Inverno chega e as crianças já começam a sentir o seu efeito

altO tratamento de todas as doenças do que chegam com o frio deve sempre ser feito pelo médico, que orientará o uso adequado de medicamentos, somente quando necessário.

 

O inverno chegou e já começa a fazer vítimas. E quem mais sofre são as crianças. Gripes, resfriados, tosses, dores de ouvido, uma série de inflamações causadas por vírus e bactérias que proliferam, principalmente, por ambientes fechados, reduzindo a imunidade, lotando clínicas e unidades de saúde.

Regras básicas podem ajudar a evitar esses males, de acordo com a equipe de especialistas do Centro de Otorrinolaringologia Pediátrica de Curitiba (Copec). A primeira providência é lavar roupas, edredons e casacos para eliminar ácaros que se acumularam com as roupas de frio.

Dentro de casa e, principalmente nas escolas e creches, deve-se observar com rigor a lavagem das mãos das crianças, evitar os locais de grande aglomeração de pessoas, manter ambientes arejados e, sempre que possível, evitar que crianças com sintomas de doenças respiratórias frequentem a escola antes de serem avaliadas pelo médico.

As principais doenças da estação
Respiratórias – resfriado, gripe, rinite, rinussinusite, bronquite. As viroses respiratórias são mais comuns durante o inverno e atingem crianças, pois elas ainda não têm o sistema imunológico totalmente maduro e atuante. Por conta disso, todas elas podem evoluir para casos graves, em alguns casos necessitando de internação hospitalar para o tratamento.

Alergias - Pais de crianças alérgicas devem tomar cuidados redobrados com a saúde dos filhos. O simples contato com o vírus já as coloca em risco para desenvolverem uma crise - independente de estarem ou não com gripe. Investigar o agente causador da alergia e buscar a prevenção pela vacina contra a gripe pode ser uma importante ajuda para evitar problemas futuros, de acordo com os especialistas da COPEC.

Dor de ouvido (otite) - é uma inflamação da mucosa da orelha média (parte da orelha para dentro da membrana do timpano), dificultando a ventilação deste local e eliminação da secreção nasal por meio da tuba auditiva (que liga o ouvido à parte posterior do nariz) e, dessa forma, causando a multiplicação de bactérias e a formação de pus.

Na otite média aguda a criança tende a ficar irritada e inquieta pela dor, quando mais velha reclama de dor, apresenta febre e usualmente recusa alimentação. Como a orelha tem relação direta com a nasofaringe (parte da garganta atrás do nariz), as doenças nasais possuem grande relação com o aparecimento da otite, aumentando sua frenquência nos casos de resfriados, gripes e rinites.

Dor de garganta (amigdalite) - a inflamação das amígdalas muitas vezes pode ser consequência da respiração bucal, o ressecamento da mucosa da garganta pode facilitar a proliferaçao de bacterias e vírus, bem como reduzir a concentração de anticorpos que são excretados junto com a saliva. A saliva está mais ressecada nas crianças que respiram pela boca, portanto aumenta o índice de infecções.

Como a respiração nasal está mais prejudicada nesta época de frio, temos um aumento dos casos de faringites e amigdalites. O tratamento deve sempre ser feito pelo médico, que orientará o uso de antibióticos somente quando necessário.